quinta-feira, 6 de abril de 2017

Menino Guardador

O menino mora numa velha fábrica de vidros. Tem uma coleção infinita de garrafas dessas de se fazer um barco dentro.
Mora ali sozinho desde não pode se lembrar quando. Morou um tempo na rua mas não sabe dizer. Outra coisa que não sabe é fazer barcos.
Mas sabe fazer um milhão de outras coisas. Aprende sonhando: sonha com as coisas que sabe fazer, acorda e faz. Assim vai enchendo as milhares de garrafinhas abandonadas com seus talentos oníricos.
A primeira garrafinha que encheu foi com sonho. Sonhou uma coisa linda, sonhou com a lembrança de sua mãe. Acordou e guardou a imagem da mãe na garrafa. Botou a imagem ali e arrolhou. Até hoje, todos os dias antes de dormir, reza pra garrafa com a imagem de sua mãe sorrindo.
E foi guardando sonho: guardou sonho onde tinha um montão de amigos e brincava de pega-pega. Guardou sonho na praia que nunca viu. Guardou sonho de rio que nunca nadou.
Uma noite sonhou com uma brisa gostosa e guardou a lembrança do sonho da brisa. De tarde, bateu mesmo uma brisa gostosa na beira da linha do trem onde ficava a fábrica.
Pensou: “Se posso guardar o sonho, por que não posso guardar a brisa de verdade?”
Tentou. E guardou a brisa.
Assim aprendeu a guardar coisas: guardou pôr do sol, chuva, tempestade de trovão, voo de pipa no céu, voo de avião no céu, guardou até vontade de ser passarinho e vontade de ser avião. Guardava qualquer coisa que quisesse, esse era o seu talento.
Certa vez, fazia já uma semana de chuva e frio. Não podia fazer nada, só ficar na fábrica sozinho esperando a chuva passar. Não tinha passarinho no céu, não tinha sol, não tinha manhã, tarde, nada: só cinza e chuva.
Pensou: “Tenho tanta coisa guardada... será que dá pra usar?”
Lembrou de um sonho em que tinha um cachorro branco e marrom muito brincalhão. Procurou no meio das tantas garrafinhas arrumadas nas prateleiras da fábrica. A fábrica era um galpão enorme enorme e cheio de prateleiras com garrafinhas vazias e cheias de sonhos do menino.
Achou a que procurava: lá estava o cachorro feliz brincando feliz sozinho na garrafa. Abriu: o cachorro saiu num pulo e começaram logo a brincar.
Já não tinha mais tédio, brincaram e brincaram e brincaram até que saiu o sol. E depois que saiu o sol!
Viraram grandes amigos! Brincam juntos assim pelo grande galpão da fábrica até hoje!

Vez ou outra, quando faz essas semanas cinzas, abre uma garrafa de sonho na praia e vão brincar de rolar na areia.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Miragem


Até hoje tento explicar aquilo que vi. Mas não consigo!

Ninguém acredita como possa existir uma coisa que não sei se era bicho, homem ou ET.


Numa manhã de domingo estava ali, despreocupada, quando de repente tive essa visão.


Só que não era visão... Existia de verdade!


Dá para entender? Nem eu!


O fato é que eu me encantei.


Olhei em seus olhos e senti um fascínio diferente.


Não era nada parecido como quando vejo um prato cheio de batatas fritas bem torradinhas.


Era mais legal ainda!


Como se nunca mais conseguisse parar de olhar pra ele.


Talvez porque seus olhos tinham tamanhos diferentes.


Ele era de uma feiura tão especial que nada nunca poderia ser mais bonito.


Lembro que em questão de segundos comecei a ver estrelas nele.

Aliás, o lugar se encheu de estrelas e tudo mais desapareceu.


Daquele dia em diante não conseguia mais pensar em outra coisa.

Passei a tentar encontrá-lo de novo, e explicar para as pessoas o que tinha visto.


Só de lembrar já ficava feliz!


Depois disso comecei a escalar montanhas no frio, na chuva - sem me molhar.


Ia a lugares que detestava, feliz da vida.


Até aprendi a cantar!


Consegui encontrá-lo muitas e muitas vezes.


Na rua, nos pensamentos, nos meus sonhos.


A cada reencontro parecia cada vez mais lindo.


Levei muitos amigos para olhá-lo também, só que ninguém conseguia vê-lo assim.


Tentava explicar todo o bem que me fazia. 


Contava como me sentia bem disposta só de estar perto dele.


Como os minutos voavam ali.


Como meu coração ficava batendo acelerado de tão contente!


Todo mundo dizia que estava louca.


Mas não tenho culpa se as pessoas são muito atarefadas e não tem tempo de prestar atenção nas coisas...

Acredito que só deva haver um como ele. 


Porque, se existissem outros,  alguém haveria de me contar a mesma história!


Na certa meus amigos teriam visto muitos deles pelas ruas.


Acontece que até hoje nunca mais encontrei ninguém parecido com ele, a não ser ele mesmo.


E é por isso que, por mais que não fale comigo, mais me encanto quando o encontro.


Até hoje, quando ele passa, aparecem muitas estrelas.


Elas ficam brilhando por muito tempo dentro de mim.


Ninguém mais consegue me fazer assim tão feliz, só de olhar!


É por isso que não me importo quando as pessoas me dizem que ele tem chifres.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Dia-Mãe



Dia-Mãe

Feliz dia dos elefantes voadores
Feliz dia das fadas púrpuras
Dia das pipas encantadas
Das estrelas cadentes, ardentes
Que colheu no jardim
E arderam na palma da mão

Feliz dia do dragão
Do dragão-bom que ficou seu amigo
E do dragão-mal que matou
Com uma lança no peito

Feliz dia das borboletas maiores que composições de trem
E feliz dia do trenzinho elétrico movido a bateria recarregável de imaginação

Feliz dia do futebol de botão, de meia, de vídeo-game, na rua, na quadra
No campo no ombro de seu pai

Feliz dia dos primeiros colonos terrestres em Marte
Do gatinho enrodilhado no colo
Do livro de colorir com cores por inventar
Das palavras secretas segredadas a amigos imaginários inimagináveis

Feliz dia do pião, da bolinha de gude
Do bolo de chocolate com brigadeiro
Da amarelinha, da mãe-da-rua,
Do carrinho que bate-bate
Do pirulito que bate-bate

Feliz dia da mães, dos pais, dos avós, dos irmãos, das irmãs
Dos animais, da Terra, das florestas e das cidades
Feliz dia-mãe de todos os dias - dia esperança -
Feliz dia das crianças!

terça-feira, 4 de setembro de 2012

As rugas da vovó

O amigo se foi
não volta mais

O amor já se foi
não liga mais

A vida passou
não volta mais

Marca a pele da gente

sábado, 30 de junho de 2012

Tchauzinho


O menino sozinho
no banco de trás do disco voador
passou e deu tchauzinho pra gente,
veio com a família
passar um ano na Terra.

Os pais trabalham na Federação da Galáxias Distantes.
O pai é embaixador do meio-ambiente
e disse para o menino:
Seja discreto
esses terráqueos são perigosos
se nos descobrem
nos transformam em combústivel fóssil!

A mãe é embaixadora da paz
e disse para o filho:
Seja discreto
esses terráqueos são perigosos
se nos descobrem
viramos arma secreta!

Mas criança é criança
e, na hora de ir embora, não resistiu,
no que o que pai diminuiu
pra pegar a via láctea expressa
abaixou o vidro
pôs meio corpo pra fora
e mandou um tchauzinho pra gente!

quinta-feira, 7 de junho de 2012

O buraco imaginário


Amigo imaginário
pode ser o seu
se for ausente
displicente
pode ser o seu

Amigo imaginário
pode ser o seu
melhor amigo
sumido
pode ser o seu

Amigo imaginário
pode ser o seu
amigo inventado
desligado
pode ser o seu

Amigo imaginário
pode ser o seu
umbigo amigo
amigo umbigo
pode ser o seu

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Voo amigo


Veloz veio 
voando de folha seca
ssssssssssssssssssssss
sopra o vento

Veio outono
voa folha sopra folha
vuuuuuuuuuuuuuuuuu
varre o vento

Veloz veio
montado na ventania
friiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiioooo
não volta mais